Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

domingo, agosto 13, 2006

Riscos dos Investimentos

Considerações

É um equívoco imaginar que apenas as aplicações em renda variável oferecem riscos. Investimentos de renda fixa também podem ser arriscados.

Renda fixa não pode ser confundida com rentabilidade fixa.

Mudanças nas condições de mercado podem causar ganhos ou perdas de capital, alterando a rentabilidade dos ativos durante sua vigência.

O aspecto mais importante ao se lidar com o risco, sob a ótica do investidor, é a Diversificação, isto é, não colocar "todos os ovos na mesma cesta": tudo em fundos DI, só poupança, apenas CDB, ... . A seguir, vem a Informação, isto é, conhecer as características dos investimentos.

O investidor deve considerar o risco da carteira, a cada investimento / resgate, seja para adicionar um novo ativo ou elevar / reduzir outro já existente. Por exemplo: um ativo com alta volatilidade poderia ser considerado de alto risco quando analisado individualmente, porém, se este ativo apresenta tendência de valorização ou desvalorização contrárias às da carteira, isto é, correlação negativa, sua aquisição irá diminuir o risco da carteira.

A matéria prima dos modelos de administração de risco são os dados do passado. O passado, porém, raramente nos revela quando ocorrerá a ruptura no futuro. A surpresa é um combustível, sobretudo, no mundo das finanças. Portanto, a ciência da administração do risco nunca traça um quadro futuro perfeito; nas imperfeições que se esconde a turbulência.

Os tipos de risco dos Investimentos

Risco de Mercado: decorre de movimentos nos preços ou nas taxas de juros dos ativos que compõem a posição/portfólio. Também se enquadram nesta categoria os riscos cambial, País e sistêmico.

Só se verifica quando o ativo é negociado antes do seu vencimento, pois a liquidação no vencimento é feita pelo valor par (valor do contrato).

Os impactos com movimentos de taxas variam:

ativos em taxas pré fixadas: sofrem desvalorização com a elevação da taxa de juros e apresentam valorização com a queda.

ativos com taxas flutuantes ou pós fixadas:
a) sem deságio: não impacta no preço do ativo, apenas no nível do rendimento
b) com deságio: o deságio segue as regras dos ativos com taxas pré fixadas.

O risco de Mercado é medido pelo descolamento em relação a um benchmark (referencial).

Risco de Liquidez: decorre da facilidade / dificuldade com que pode converter um ativo em dinheiro vivo, pelo valor de mercado a qualquer momento, antes do seu vencimento.

Neste quesito, os investimentos podem ser:

com liquidez garantida: fundos de investimento, poupança, títulos públicos, CDB-DI.
não tem liquidez antes do vencimento ou carência: fundos de capital garantido, títulos de capitalização, previdência, RDB.
dependem de achar um comprador: ações no mercado à vista, debêntures, imóveis, CDB, L.C., L.H.
Risco de Crédito: decorre de uma obrigação de resgate / liquidação, que não seja honrada pela respectiva contraparte ( a empresa emitente, ou o Banco ) - quando ocorre um default.

No caso de captações pelas Instituições Financeiras ( CDB, RDB, LC, LH, LI, Poupança, Depósitos à vista), há o FGC - Fundo Garantidor de Crédito, que cobre até R$ 20.000,00 por CPF ou CNPJ

Risco Operacional: decorre da falta de consistência e adequação dos sistemas, processamento de operações, bem como de falhas nos controles internos, fraudes ou qualquer evento deste tipo.

Risco Legal: decorre do potencial questionamento jurídico na execução dos contratos. Esta categoria de risco deve ser mensurada para investimentos que envolvam contratos específicos e os taylor made.

Perfil dos investidores

Os investidores podem ser divididos em três categorias: conservadores, moderados e arrojados. Estas categorias se baseiam no grau de aversão ao risco que eles têm.

Conservador: É avesso ao risco. Sente-se desconfortável com oscilações de preços, não suporta ver seu patrimônio diminuir. Abre mão de rentabilidade em troca de tranqüilidade. Suas reações são mais emocionais que racionais. Em geral tem pouca informação sobre o mercado.

Moderado: Tolera um certo volume de risco. Aceita flutuação de preços, em troca de ganho compensador. Não se expõe a grandes riscos. Tem razoável conhecimento do mercado, usando mais a razão nas decisões.

Arrojado: Esse é o investidor típico de renda variável, pois aceita grande quantidade de risco, inclusive de perdas de capital - perder patrimônio. É movido pelas perspectivas futuras e expectativas de retornos acima da média. Tem grande conhecimento do mercado e acesso a informações, além de consultores. Acompanha ativamente seus investimentos, é ágil e racional na sua administração. Em geral é jovem.

Perguntas importantes que o investidor deve se fazer

Qual o meu objetivo ao fazer este investimento ?

Qual é a minha expectativa de rentabilidade ?

Quanto tenho disponível para investir ?

Quando vou precisar desse dinheiro ?

Tenho todas as informações sobre este tipo de investimento ?

A diversificação da minha carteira é consistente com meu perfil de risco ?

Recomendações

Acompanhe o desempenho de seus investimentos
Mantenha-se informado sobre o mercado
Reavalie os riscos e as estratégias periodicamente
Não perca de vista os objetivos de seus investimentos.
Use a razão, segure a emoção

Bookmark and Share

0 Comments:

Postar um comentário

<< Home

Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.